Três comissões da Câmara debatem manutenção do idoso no mercado de trabalho

As comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Legislação Participativa promovem debate sobre a inserção e a manutenção do idoso no mercado de trabalho nesta quarta-feira (22). Os autores dos requerimentos para a audiência pública são os deputados Flávia Moraes (PDT-GO) e Roberto de Lucena (PV-SP).

Billy Boss/Câmara dos Deputados
Flávia Moraes: trabalhadores serão obrigados a esticar a vida profissional com a reforma da Previdência

Flávia Moraes está preocupada com os impactos da reforma da Previdência (PEC 287/16), discutida pelos deputados. “A maioria dos trabalhadores será obrigada a esticar a vida profissional. A idade mínima para a aposentadoria será 65 anos, sendo necessário se manter no mercado além dessa idade para obter o valor integral do benefício”, alertou.

Ela cita um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que indica crescimento de 132% do desemprego entre pessoas com mais de 60 anos, entre o último trimestre de 2014 e o segundo trimestre de 2016.

“Um indicador de um penoso problema social. Se o país se propõe a missão de fazer a reforma da Previdência, também lhe cabe pensar alternativas no mercado de trabalho para esse estrato social”, destacou a deputada.

Mercado de trabalho

Roberto de Lucena lembra que em países como Portugal, Dinamarca, Suíça, Canadá, dentre outros, há programas governamentais de políticas voltadas ao aproveitamento da população idosa no mercado de trabalho, inclusive após a aposentadoria do primeiro emprego.

Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados
Roberto de Lucena cita países que contam com programas governamentais voltados ao aproveitamento de idosos no mercado de trabalho

“Eles têm sido aproveitados como guias turísticos, de museus e em diversas outras atividades compatíveis com a sua capacidade laboral após os 60 anos. Menos pelo valor da remuneração, mas muitas vezes pela manutenção de uma atividade para os idosos, esses têm demonstrado enorme capacidade e experiência e, consequentemente, um grau elevado de felicidade”, afirmou.

Foram convidados para a audiência pública, representantes dos seguintes órgãos:

- Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese); 
- Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea);
- Ministério do Trabalho.

A audiência pública será às 15h30, no plenário 16, com transmissão interativa pelo e-Democracia.

Fonte: Agência Câmara Notícias

Nós apoiamos

               

Contato

Rua Conselheiro Carrão, 619, Juvevê | Curitiba - Paraná

CEP : 80040-130

Telefone/Fax: (41) 3334 - 3030

Email: sindiborracha@sindiborracha.org.br

Federação

FETIEP                            

Confederação

CNTI

Central

CTB

Top